As Virgens Suicidas

Filme. Título Original: The Virgin Suicides. Dirigido por Sofia Coppola. Ano: 1999. Nota: ★★★✩✩. Filmow.


Oh, adorável “família perfeita”! Pai, mãe e cinco irmãs... Pobres garotas! Para os pais mostrar os ombros era como uma blasfêmia, dar beijos um pecado, entregar o corpo... Na sequência de imagens de fotografia impecável, as encantadores jovens são feitas de tristeza e, apesar de toda a angústia, o que todos os outros podem enxergar são virgens envoltas de mistério... É a partir dessa visão alheia, pelo ponto de vista de meninos que as observam, que a história das irmãs suicidas é contada.
Todos se lembram da decadência do nosso bairro desde os suicídios das meninas Lisbon. As pessoas notaram suas clari vidências nos salgueiros destruídos, na luz cruel do sol e no declínio contínuo da nossa indústria [...] Tentamos desvendar os mistérios mais uma vez. Tudo para entender aquelas cinco garotas que depois de todos esses anos não saem de nossas mentes...
Desde o começo do filme, foi óbvio que a destruição daquela família era inevitável, pois as meninas parecem o tempo inteiro destinadas ao fim: fantasiosas demais, quase prisioneiras por sua família super-protetora, pareciam morrer aos poucos entre as paredes de seus próprios quartos. Cecília foi a primeira a cair.



Após a morte da mais nova, em um belo relato em tons pastéis, os jovens que sempre foram fascinados por elas tentam entender aquelas irmãs: eles queriam desvendar os pensamentos delas, almejavam compreender o fardo que é ser uma menina na família Lisbon, desejavam poder entendê-las por mais que fosse tarde demais.

E, apesar de todo fascínio, o roteiro parece incompleto, meramente visual, não profundo o suficente, o ritmo do filme é lento, as atitudes das meninas, por vezes, forçadas... É impossível conhecer as jovens Lisbon. E, apesar de ninguém (mesmo no fim) ser capaz de compreendê-las completamente, de uma coisa aqueles meninos tiveram certeza: eles as amavam. E fariam tudo para trazê-las de volta.

Outubro de 2013

O dia em que a máquina parou e o coração permaneceu pulsando... Minha vida pulsou junto da dela. Mãe, eu sempre estarei contigo. Segurando sua mão, eu falei que queria ir embora – não com essas palavras, mas esse sempre foi o sentido. Quero conhecer o mundo! – Decidi dizer agora como em um grito... Mas disso ela sempre soube. E, assim, eu pude compreendê-la em um sorriso.

(Fotografia: laura makabresku)

2013

Na minha casa, eu mantive os livros voltados ao pó. E com minhas mãos dispostas em orações, pedi que as fadas me protegessem no caminho de volta, implorei que mamãe ficasse bem e vovô lembrasse meu nome. Eu cultivei abraços e colecionei carinhos. Plantei uma flor que morreu duas semanas depois, mas renasceu de outro jeito...

Nas ruas antigas, eu enganei meus sentimentos, me derramei em trágédias que ainda não entedia. Chorei por calçadas que odiava, desisti de detalhes que me atrapalhavam. Tomei conta dos meus eus, tirei os sapatos e soltei os cabelos, me apaixonei pela cidade. Escrevi no muro da praça cartas de amor e deixei que a chuva as levassem... E, quando a chuva se foi, vi que tudo já era passado.


(Era para ser uma retrospectiva do ano passado... Atrasada, ouso dizer. Além disso, fiz algumas modificações nas cores do blog, estava cansada do rosa excessivo e de usar pseudônimos que se transformam em um piscar. Espero que estejam confortáveis com as novas "cores"!).

6 on 6 (Outubro)

Eis o último 6 on 6. Continuar o projeto foi uma tarefa muito prazerosa, apesar da correria constante. O mais legal foi conhecer um pouquinho as meninas. A cada mês. Decidimos fazer então, o último de forma diferente, especial. As fotos desse mês são inspiradas nas blogueiras que acompanharam no projeto... A maioria das fotos foi tirada a noite e foram feitas com muito amor.

1 - Encontrei esse livro na minha estante. Foi um livro que usei muito nas disciplinas de desenho da faculdade. Então, como a Lidiane desenha muito bem, decidi fotografá-lo inspirada nela.

2 - Eu e a Carol temos uma coisa em comum: a arquitetura. Então, vasculhei meus cartões postais antigos e encontrei essa imagem que me lembrou ela.
3 - Eu, usando o batom roxo que fotografei aqui.


4 - Quando eu vasculhava os cartões postais, encontrei essa casinha cheia de flores e lembrei das fotos da Talita, já que quase todos os meses no 6 on 6 ela postou uma foto com flores *-*

5 - Para Elisabeth eu fotografei um Manhwa (Tarot Café) e a Mokona, já que ela, como eu, ama cultura asiática! *-*


6 - A Bruna em várias das fotos do facebook com um sorriso lindo, usa batom vermelho. Então, achei que fosse totalmente apropriado fotografar um batom com essa cor.

6 on 6 (Setembro)

Os dias passaram tão depressa que mal posso acreditar.

















1 - Folhas mortas; 2 - Uma folha morta; 3 - Um sorriso m(eu); 4 - Apresentação do projeto de extensão; 5 - O que ainda está na parede (mesmo sem ser natal); 6 - Um espelho que não é.
Clique nos nomes para conhecer as outras integrantes do projeto! BrunaElisabeteCarolLidiane e Talita.

Sinestesia de sonhos

Os dias são sempre os mesmos, mas os sons são outros. Um menino que chorou, uma criança que caiu, um corpo que se partiu ao meio... Os rostos são todos diferentes, os pingos que caem não são da chuva. Um apanhador que toca um sonho. Um sonho dentro do sonho. Sea Oleena, em um sussurro, mistura um mundo em uma cocofonia de tons, onde cada detalhe floresce para se tornar música. Um tom que não merece ser descrito. Apenas ouvido.








Eu esperei que a chuva voltasse para revelar essas canções, mas como nem mesmo o sol brilha, preciso deixar essas flores crescerem de alguma outra forma, em forma de... Ou do som, do sonho, de nuvens e gotas que não são lágrimas. Charlotte Oleena é Canadense e suas duas compilações Sea Oleena (2007) e Sleeplessness (2010) estão a venda no Bandcamp. Suas canções tem gosto de nuvem e cheiro de mágica.

6 on 6 (Agosto)

6 on 6. Durante 6 meses, todo dia 6 de cada mês, as 6 blogueiras postarão 6 fotos em seus respectivos blogs. Este é um X on X.

Nos próximas semanas vou aparecer mais com minhas tragédias e detalhes trágicos. As férias estão comigo e a única coisa que fiz foi me organizar, planejar e fotografar pequenos momentos. Revi tantos detalhes que me faltam palavras para descrever o que sinto... Agora, mais do que nunca, estou pronta para o resto da minha vida!


















1 - Ele não tem nome (ainda), mas a gente o chama de "Urso" ou "Bolo Fofo"; 2 - Talvez já tenham percebido que eu realmente amo o céu; 3 - Minhas unhas decrépitas; 4 - O meu espaço teve sua cor retocada (alguém lembra de como estava?); 5 - Decidi finalmente, começar a escrever no meu diário; 6 - O melhor presente dos últimos tempos: um batom roxo ♥
Clique nos nomes para conhecer as outras integrantes do projeto! BrunaElisabeteCarolLidiane e Talita.
 
Template personalizado por Ismália das Galáxias com base em 187 tons de frio.